Grupo havia sido desabilitado em razão de aumento da renda, mas negociações com o governo federal garantiram o retorno do direito à moradia no empreendimento

 

O prefeito Rodrigo Ashiuchi se reuniu nesta quinta-feira (11/08) com futuros moradores do Residencial Suzano 2, no Cineteatro Wilma Bentivegna, para informar que 47 famílias que haviam sido desabilitadas pelo governo federal a ocupar um dos apartamentos em razão do aumento da renda, uma vez que o empreendimento tem cunho social e faz parte do extinto programa “Minha Casa, Minha Vida”, foram reabilitadas e poderão se mudar para uma das unidades assim que toda a parte burocrática que envolve o bloco A for resolvida. 

 

As conversas entre prefeitura e governo federal para que esta pendência fosse resolvida se iniciaram em 19 de maio, e nesta quinta-feira (11/08) ocorreu o desfecho com o documento garantindo a volta do direito de receberem as moradias do empreendimento, que está localizado na estrada Takashi Kobata, no Jardim Europa. 

 

Embora toda a parte estrutural esteja praticamente pronta, inclusive com a emissão do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e da certidão “Habite-se” por parte da Prefeitura de Suzano, que é um documento atestando que a construção do imóvel seguiu toda a legislação durante a obras e está apto a ser ocupado, ainda restam os trâmites em cartório para que o futuro condomínio possa receber os novos moradores, etapa supervisionada e de responsabilidade da agência financiadora, que, neste caso, é o Banco do Brasil. 

 

As novidades são referentes ao bloco A, assim como as 47 famílias que haviam sido desabilitadas pelo governo federal. A conquista do prefeito, que também teve a participação do deputado federal Marcio Alvino, foi recebida com palmas pelos futuros moradores. “Tudo o que estava ao nosso alcance nós fizemos. Fomos atrás e acionamos o deputado Marcio Alvino para resolvermos a situação. A população não tem culpa de ter melhorado de vida durante todo este período em que o empreendimento ficou com as obras paralisadas”, destacou Ashiuchi.

 

O prefeito disse ainda que ele, após a intervenção de Alvino, se reuniu com o secretário nacional de Habitação, Alfredo Eduardo dos Santos, subordinado ao Ministério de Desenvolvimento Regional, para receber a notícia. Falei com o secretário Alfredo e ele me garantiu que essas famílias seriam reabilitadas. Agora temos esse documento com a assinatura dele concretizando o que havíamos tratado em maio, em Brasília. Para mim é uma sensação de dever cumprido”.

 

O diretor municipal de Habitação, Miguel Reis Afonso, que atuou diretamente na resolução do caso, o chefe de Gabinete, Afrânio Evaristo da Silva, e o secretário municipal de Governo, Alex Santos, também participaram da reunião.

 

Mais próximo

As obras de construção foram retomadas em fevereiro, após um período de dois anos em que ficaram paralisadas em razão do abandono da construtora contratada pelo Banco do Brasil, agente financeiro responsável, que declarou insuficiência de recursos para dar continuidade à obra do empreendimento. Ainda assim, com 90% do bloco A finalizado, uma nova empresa retomou o projeto, por meio de uma articulação feita entre prefeitura e o governo federal, promovendo adequações, como a troca do contrapiso em algumas unidades. 

 

Depois que as obras forem concluídas, a parte burocrática entrará em cena para promover a matrícula dos imóveis e, posteriormente, a entrega das chaves e a mudança das famílias. O bloco B ainda segue em construção.

 

 

Crédito das fotos: Wanderley Costa/Secop Suzano