Cléber Rabelo (PSTU) ainda pretende descriminalizar as drogas e a repressão da polícia em atos de trabalhadores no Estado

Cléber Rabelo, candidato ao governo do Pará pelo PSTU, quer o fim da militarização da polícia dentro das periferias paraenses. Essa é uma das propostas inseridas no plano de governo do postulante, que quer proibir a repressão de agentes em atos de classes trabalhadoras.

“É preciso acabar com militarização da PM, formada para reprimir trabalhadores durante as greves, ocupações urbanas ou do campo e os protestos das comunidades nos bairros periféricos, seja por falta de água, de iluminação ou alagamentos”, diz um treco da proposta de Cléber, que ainda defende de uma Polícia Civil unificada, para que delegados e chefes, além de concursados, sejam eleitos pela população periférica.

O candidato ainda pretende tratar o tema das drogas no Estado como uma questão de saúde pública, a descriminalizando. “Defendemos a legalização [das drogas] e o controle da sua distribuição, acompanhamento e tratamento médico e psicológico pelo Estado, com campanhas de saúde pública para acabar com o poder do narcotráfico”.

Saneamento básico, emprego para os jovens, expansão de conselhos populares na gestão de políticas públicas e diversidade são outros temas defendidos pelo candidato do PSTU ao mencionar a periferia em sua proposta de governo.

Cléber Rabelo aparece com 2% das intenções de voto, segundo a última pesquisa divulgada RealTime Big Data/TV Record, divulgada em 22 de julho.

O atual governador e candidato à reeleição, Helder Barbalho (MDB), não cita a periferia em sua proposta de governo inserida no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mas propõe, em “comunidades mais pobres” a expansão de Usinas da Paz, espaços que oferecem serviços como saúde, educação, direitos do consumidor, cultura, comunicação e empreendedorismo.

Ainda segundo a pesquisa de intenção de voto para o governo do Pará divulgada pela RealTime Big Data/TV Record, Barbalho segue sendo o preferido dos paraenses para assumir a gestão do Estado, com 62%.

Segundo colocado nas pesquisas, com 10% das intenções de votos, o senador Zequinha Camargo, candidato ao governo pelo (PL), propõe ampliar a atuação das “ruas de lazer” e atividades de recreação em bairros da periferia.

As promessas registradas na Justiça Eleitoral, no entanto, não obrigam postulantes a efetivá-las caso eleito. Segundo o TSE, o número de vezes em que as propostas aparecem em um plano de gestão não necessariamente representa a quantidade de projetos para a população periférica. As propostas de governos servem como ferramenta de acompanhamento para os eleitores durante a campanha e de cobrança após a eleição.

Com informações TERRA