A medida provisória 1.113, publicada pelo Governo Federal em abril deste ano, prevê a redução do tempo de espera no atendimento do INSS. Uma notícia muito boa, se saísse do papel. Muitos beneficiários não conseguiram sentir na prática essa nova legislação.

Os papéis nas mãos de Maria do Socorro de Moura, de 62 anos, são os documentos para dar entrada na aposentadoria por tempo de serviço. Ela está nesta batalha, no INSS, desde 2017.

Em 2020, a moradora de Suzano até recebeu “parecer favorável” do órgão. Mas, em seguida, foi informada pelo instituto que precisava enviar mais documentos probatórios dos serviços em que ela atuou.

“Estou agora para análise. E nessa análise, está desde fevereiro deste ano. É uma revolta, porque eu comecei a trabalhar aos 10 anos de idade, então venho sempre trabalhando”, disse a auxiliar de enfermagem aposentada.

img 3778