Após ser atacada pelo cantor Zé Neto, no começo do mês passado durante um show, a polêmica tatuagem íntima de Anitta veio à tona. No ano passado, a artista tatuou em seu ânus a frase: “I luv u”, em inglês quer dizer: “Eu amo você”.

Em recente entrevista ao “Fantástico”, da Globo, que foi ao ar no último domingo (05), Anitta revelou o motivo que a levou a fazer uma tatuagem íntima: “Não é exatamente lá, é tipo meio centímetro acima. Tava com meu pai e ele queria fazer uma tattoo. Estávamos em casa bebendo e conversando, ele falou que doía, mas queria muito fazer. Eu falei que para provar que não doía, ia fazer no lugar mais sensível do corpo”, contou a poderosa na ocasião.

A IstoÉ Gente procurou a Dra. Márcia Maria da Costa, que é Ginecologista e Obstetra das maternidades São Luiz, Pro Matre, Santa Joana, que explicou se tatuagem que Anitta fez no ânus pode causar problemas de saúde. Confira!

“No caso da cantora Anitta, pelo tempo decorrido desde a realização da sua tatuagem, se houvesse alguma complicação já teria apresentado. Além de problemas de reação alérgica à tinta, a realização de tatuagens em regiões de mucosa aumenta o risco de infecção, por se tratar de uma área potencialmente contaminada, onde os cuidados orientados pós-tatuagem não são tão fáceis de seguir. Claro que o tipo de tinta, procedência, forma de realização da tatuagem também podem contribuir com uma infecção, começou a profissional.

“Todo procedimento deve levar em conta os riscos e os benefícios. O processo de tatuagem em partes que envolvem mucosas, como boca, vagina, vulva, pênis, ânus, não são as mais recomendadas. Isso porque essas regiões são muito mais sensíveis, mais úmidas, mais susceptíveis a infecções por bactérias e fungos. Desta forma, os médicos não recomendam a realização desse tipo de tatuagem”, disse a Dra. Márcia, ao responder se os médicos aconselham não fazer esse tipo de tatuagem na parte íntima.

A ginecologista finalizou dizendo que, caso a pessoa que fez esse tipo de tatuagem queira remover, isso pode gerar problemas: “As tatuagens definitivas podem ser apagadas, atualmente, utilizando-se a técnica de laser terapia. Entretanto, quanto mais antiga, complexa, detalhada e colorida for a tatuagem, maior o número de sessões para remover. Entretanto, o método também pode levar a algumas complicações, como irritação, lesões, bolhas, cicatrizes, a depender de cada caso, o que em se tratando de mucosas, potencializa os riscos”.