A Prefeitura de Ubatuba, representada pelas equipes da Secretaria de Pesca e Agricultura (SMPA) e de Meio Ambiente (SMMA), participou na manhã desta quarta-feira, 8, da cerimônia de inauguração do ponto de Recepção de Resíduos do Projeto “Mar sem Lixo”, localizado a Barra dos Pescadores, no Centro de Ubatuba.

O projeto integra o programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) executado pela Fundação Florestal (FF) que, em sua primeira fase, prevê pagamentos via cartão-alimentação, entre R$ 400 e R$ 600, a pescadores artesanais que atuam nos municípios de Cananeia, Itanhaém e Ubatuba, nas Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Marinhas Litoral Sul, Litoral Centro e Litoral Norte. O projeto é piloto e o valor a ser repassado dependerá do volume de resíduos recolhidos mensalmente.

“O programa de pagamentos para os serviços ambientais prestados é uma demanda antiga dos pescadores que atuam em diversos fóruns e conselhos como, por exemplo, o da APA marinha”, explica o diretor de gestão de meios produtivos da SMPA, Leonardo Moraes. ”Nossa secretaria tem assento no conselho da APA Marinha e em outros fóruns estaduais do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM). Entre outras atividades, acompanhamos as reivindicações dos pescadores pelo pagamento desse serviço de retirada de lixo, fizemos a ponte entre a Fundação Florestal e os pescadores de Ubatuba, bem como ajudamos no levantamento e cadastramento dos mesmos”, completou Moraes.

Além desse trabalho de articulação, a Prefeitura de Ubatuba disponibilizou espaço no Mercado de Peixe para armazenamento de materiais, como balança e galões, fez a reforma e pintura do local de entrega dos recicláveis e também disponibilizou banheiro e sala de apoio para trabalho e reuniões.

A triagem, lavagem e envio dos materiais para reciclagem é feita por pessoas contratadas pela Fundação Florestal, em parceria com a cooperativa de recicladores Coco & Cia. “É muito importante dar destino adequado aos resíduos sólidos, caso contrário eles vão contaminar nosso mar, nossa água, o solo, o ar, afetando a qualidade de vida de todos seres humanos. Então esse trabalho de manejo com os pescadores locais é muito importante”, afirma Gilda Godoy, da Coco & Cia.