O Ministério da Saúde afirmou nesta quarta-feira (30) que não pretende decretar o “fim da pandemia” de Covid-19 no Brasil nos próximos dias. A declaração vai contra a expectativa declarada pelo presidente Jair Bolsonaro, que citou em evento na Bahia que havia estudos para que isso ocorresse até 31 de março. “Eu tenho a caneta, mas tenho que usar de maneira apropriada. O presidente pediu prudência”, disse Marcelo Queiroga nesta quarta-feira (30).

Segundo Queiroga, para determinar o fim da “emergência em saúde pública”, é preciso fazer análises. Ele citou três pontos:

• Cenário epidemiológico;

• Estrutura do sistema hospitalar;

• Acesso a medicamentos eficazes contra a Covid-19 na fase inicial.

img 7168