Fotos: Millena Matos

A Secretaria de Políticas para Mulheres de Itaquaquecetuba está fortalecendo a rede de atendimento às vítimas de violência doméstica. Para isso, realizou uma reunião com responsáveis de diversos equipamentos do município na quarta-feira (4) e nesta quinta (5), organizou uma palestra com a equipe técnica para abordar a violência doméstica a partir da construção histórica. Os eventos aconteceram no auditório da Secretaria Municipal de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação.

A secretária de Políticas para Mulheres, Hadla Issa, convidou coordenadores e técnicos de equipamentos como o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), Centro Pop e Ronda de Proteção à Mulher para compor a rede de atendimento. O objetivo foi qualificar os profissionais para a identificação e primeiros atendimentos na rede básica do município.

Já a palestra com o historiador Vagner Marques, direcionada aos profissionais da pasta de Desenvolvimento Social, abordou a questão cultural da violência que atravessa séculos e que, segundo ele, nos últimos 10 anos ganhou notoriedade de forma tímida, o que faz entender o comportamento da vítima que se recusa a registrar a agressão.

Após o evento, a secretária da pasta explicou que o conhecimento e a formação marcarão o início dos atendimentos e, a partir da identificação da necessidade da mulher, haverá o encaminhamento para a secretaria, que fará a triagem e o encaminhamento devido.

“Temos uma série de equipamentos e podemos realizar o atendimento da forma mais adequada, por isso é importante que todos possuam a mesma linguagem e conhecimento, pois estamos falando de vidas, de mulheres vulneráveis.”

O mês de agosto é marcado pelo “Agosto Lilás” que tem como objetivo superar as situações de violência contra a mulher. Qualquer pessoa pode denunciar violência pelo 180. A Delegacia de Defesa da Mulher está situada na rua João Barbosa de Moraes, 448 – Vila Zeferina e atende de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas.

LEIA TAMBEM:  Trabalhadores do transporte já estão sendo vacinados em Itaquá