As escolas municipais, adequadas ao protocolo sanitário, retomaram as atividades presenciais de forma gradual, como o Cempre Prof. José Limongi Sobrinho. (Divulgação/PMMC) As unidades escolares estão devidamente sinalizadas quanto aos protocolos sanitário, como no Cempre Prof. José Limongi Sobrinho, no Botujuru. (Divulgação/PMMC)

Nesta segunda-feira (14/06), alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental de 47 escolas municipais de Mogi das Cruzes , adequadas aos protocolos sanitários, retomaram as aulas presenciais de forma gradual. O retorno é opcional e as aulas também continuam sendo realizadas no formato remoto. Deste total de unidades escolares, 26 atendem educação infantil e já estavam em funcionamento.

“Dentro do nosso planejamento, identificamos que algumas crianças e famílias têm necessidades emergenciais, dificuldades nas áreas alimentar e nutricional e também na cognitiva com o retrocesso de aprendizagem; além de questões socioemocionais, como a ansiedade, depressão, isolamento e, principalmente, questões ligadas a violência infantil. É muito importante que elas tenham acesso aos equipamentos escolares e as famílias também estão demandando isso”, disse o secretário de Educação, André Stábile.

Uma das unidades a retomar as atividades presenciais nesta segunda-feira foi o Cempre Prof. José Limongi Sobrinho, no Botujuru. Mauriceia da Silva Moraes, mãe da aluna Letícia Vitoria Moraes, do 4º ano, destacou a importância do retorno. “As crianças ficaram muito presas. É muito importante voltar para a convivência com as outras crianças e para que elas saibam das responsabilidades, como usar a máscara, o álcool em gel. Ela está animada e ficou me cobrando para voltar”, disse.

Estas unidades fazem parte da Fase 1 do cronograma de retomada, em que já retornaram também gradualmente os estudantes de creches subvencionadas e alunos das turmas de educação infantil da rede municipal nas unidades adequadas ao protoloco sanitário. O documento conta com 150 itens que devem ser cumpridos pelas unidades e foi elaborado pela Secretaria de Educação e Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.

O cronograma de retomada terá continuidade após o recesso escolar a partir de um diálogo com os educadores e o GAEPE – Gabinete Articulador para o Enfrentamento dos Efeitos da Pandemia sobre a Educação, que reúne representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. “A partir do diálogo de uma gestão democrática, participativa e colaborativa fizemos um pequeno ajuste e colocamos metade da rede para retomar as atividades depois o retorno do recesso escolar”, completou o secretário.

Entre as medidas de segurança adotadas pela pasta, está a disponibilização de materiais de proteção e higiene para os profissionais, como faceshields, máscaras e álcool em gel; a distribuição de kits de proteção individual aos alunos e a criação da Brigada da Pandemia dentro das escolas. A imunização dos profissionais também está em andamento com a liberação da vacinação para todos os profissionais da educação entre 18 e 44 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui