O Departamento de Controle de Zoonoses de Suzano segue realizando ações para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela. O foco mais recente das ações foi na Cidade Edson, onde houve nebulização e orientação aos moradores sobre as formas de impedir a proliferação do inseto.

Durante a última semana, um veículo da pasta com máquina de nebulização circulou pelo bairro realizando os trabalhos preventivos, onde eles liberam o inseticida no ar para que qualquer mosquito nas proximidades e nas residências seja eliminado. Essa medida é utilizada para conter possíveis criadouros de mosquitos que possam existir na região e, com isso, zelar pela saúde e bem-estar da população.

Em conjunto com a pulverização, os agentes municipais da Zoonoses também abordaram os moradores de casa em casa para orientá-los sobre os cuidados que cada um deve tomar em seu lar, principalmente com relação a focos de água parada nos quintais. Além da Cidade Edson, o serviço atendeu mais cinco outros bairros desde março. Os locais beneficiados foram Vila Costa, Vila Amorim, Parque Residencial Casa Branca, Vila Urupês e Jardim Suzanopolis.

As ações de nebulização são trabalhos frequentes que o departamento realiza pela cidade para combater focos de reprodução do mosquito. O trabalho ocorre casa a casa praticamente todos os dias e em pontos estratégicos como ferros-velhos, galpões de reciclagem e borracharias a cada duas semanas. A pasta ainda mantém acompanhamento constante de qualquer suspeita ou confirmação de casos de dengue notificados pela Vigilância Epidemiológica para agir imediatamente na região da ocorrência, realizando visitas e coibindo a proliferação dos transmissores da doença.

De acordo com a coordenadora de Zoonoses, Priscila Arap, a participação da população é fundamental para evitar as doenças. “Fiquem atentos a pontos com água parada que possam servir para reprodução do mosquito como latas, garrafas, pneus, vasos de plantas, piscinas, cisternas, reservatórios d’água, bocas-de-lobo, bem como o acúmulo de lixo. Juntos podemos vencer o mosquito”, afirmou.