O Instituto Butantan anunciou a suspensão da produção da vacina CoronaVac, utilizada para combater o vírus da Covid-19. O motivo se trata da falta de matéria-prima. As informações são do portal de notícias da CNN Brasil.

O Instituto continuará com a entrega de vacinas na próxima semana, isso porque possuem 2,5 milhões de doses prontas, que guardam o prazo do controle de qualidade.

De acordo com informações do próprio centro de pesquisa, há possibilidade de cumprir os prazos estabelecidos nos contratos com o Ministério da Saúde, apesar do atraso na chegada de insumos. O Butantan se comprometeu a entregar cerca de 45 milhões de doses até o fim de abril.

O carregamento da matéria-prima necessária para a produção das vacinas – IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) – estava prevista para chegar da China na  sexta-feira (9) ainda deste mês de abril, no entanto, foi adiado. O atraso na entrega foi divulgado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em uma coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira (7).

Segundo informações, o atraso foi devido a intensificação da campanha de vacinação na própria China. Boa parte da vacina têm sido exportada pelo fato dos casos de Covid-19 estarem controlados no país.

Durante a coletiva de imprensa, Doria disse ter ligado para o embaixador chinês em Brasília, Yang Wanming. Dois dias atrás, o embaixador publicou nas redes sociais uma mensagem sobre o encontro com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e garantiu que a China continuará fornecendo os insumos para o Brasil.

A previsão da chegada dos insumos em São Paulo está prevista para o dia 15 de abril, sendo 6 mil litros de IFA, suficientes para a produção de 10 milhões de doses. O Butantan segue tentando antecipar a data para que possam retomar a produção dos imunizantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui