De acordo com a IAVI (Iniciativa Internacional da Vacina da AIDS) e a Scripps Research um ensaio clínico em fase 1 que testa uma vacina contra o HIV apresentou resultados promissores. Os primeiros dados calculados, mostram que 97% das pessoas que receberam a vacina apresentaram bom desempenho na produção de células imunes raras, necessárias para iniciar o processo de geração de anticorpos contra o vírus. As informações são do portal de notícias UOL.

“Mostramos que as vacinas podem ser projetadas para estimular células imunes raras com propriedades específicas, e essa estimulação direcionada pode ser muito eficiente em humanos”, disse William Schief, professor e imunologista da Scripps Research e diretor executivo de design de vacinas no NAC (Centro de Anticorpos Neutralizantes) da IAVI, laboratório responsável por desenvolver a vacina.

O estudo para desenvolver a vacina, foi realizado nos Estados Unidos com a participação de 48 adultos que não convivem com o vírus. Os voluntários não apresentaram nenhum problema relacionado à segurança do imunizante.

Após a avaliação do primeiro resultado, a vacina passará por mais duas fases testes, sendo a última em um grupo maior de voluntários.

Os pesquisadores que fazem parte do estudo, acreditam que, caso a abordagem usada no estudo atual contra o HIV seja efetiva, poderia ser aplicada também para outros patógenos, como o vírus da gripe, dengue, Zika e hepatite C.