Nesta terça-feira (09), a Justiça Italiana condenou em segunda instância o ex-atacante do Milan Robinho, e seu amigo Ricardo Falco a 9 anos de prisão por estupro coletivo de uma jovem albanesa na madrugada de 23 de janeiro de 2013 numa boate em Milão.

Nas motivações da sentença, os juízes afirmam que o ex-jogador e seus “cúmplices” demonstraram desprezo em relação à vítima. Além de tentarem oferecer informações falsas sobre o fato ocorrido naquela naquela noite, e que as explicações teriam sido combinadas.

Segundo a vítima, a mesma estava na boate com Robinho e seus amigos, em determinado momento o ex-atacante levou sua esposa para casa. Os réus então ofereceram bebida à albanesa até deixá-la inconsciente.

De acordo com a reconstrução feita pelo Ministério Público, Robinho e os amigos levaram a vítima para o guarda-volumes da boate e, se aproveitando do estado dela realizaram múltiplas e consecutivas relações sexuais com a mesma.

Deixe uma resposta