Na última quinta-feira (11) o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o auxílio emergencial deve voltar a ser pago no mês de março com duração de três a quatro meses.

Bolsonaro ainda não especificou o valor, e destaca que o assunto é debatido entre a equipe econômica e o Congresso.

“Está quase certo, não sabemos o valor. Com toda a certeza, a partir de, com toda a certeza, pode não ser, a partir de março. Três a quatro meses, é o que está sendo acertado com o Executivo e o Parlamento também, porque temos que ter responsabilidade fiscal”, afirmou.

O presidente relata que para a condição da volta do benefício, é necessário o fim das medidas de isolamento social.

“Não basta apenas conceder mais uma período de auxílio emergencial, o comércio tem que voltar a funcionar. Tem que acabar com essa história de fecha tudo. Devemos cuidar dos mais idosos e quem tem comorbidade, o resto tem que trabalhar.”

O chefe do Executivo também chamou atenção sobre o endividamento do país. “No momento, a nossa equipe, juntamente com parlamentares, estudamos por mais alguns meses a extensão do auxílio emergencial, que repito, o nome é emergencial, não pode ser eterno porque isso representa um endividamento muito grande do nosso país, e ninguém quer o país quebrado.”

Fonte: JP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui