Cerca de nove Unidades Básicas de Saúde da zona norte de São Paulo, possuem registros de descartes de doses da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca. As informações exclusivas foram apuradas pela jornalista Milena Teixeira, da BandNews FM. 

BandNews FM conseguiu acesso à troca de mensagens via WhatsApp que mostram colaboradores e funcionários de UBSs fazendo a contabilização do desperdício de 44 doses da vacina. Os nomes e números dos funcionários das unidades não foram divulgados.  

Em um grupo no aplicativo, os funcionários falaram sobre o estoque e a perda das vacinas. Em determinado trecho do diálogo, os profissionais mencionam 29 doses da vacina Oxford/AstraZeneca e de 15 da CoronaVac.  

O imunizante Oxford/AstraZeneca é descartado, pois cada frasco tem 10 doses, e depois de aberto, a validade é de apenas 6h.  

Segundo a gestora de uma das UBSs que preferiu não se identificar, a Secretaria Municipal de Saúde orienta o descarte do imunizante.  

Não existe autorização para que seja feita a aplicação em pessoas fora do grupo prioritário, mesmo diante da possibilidade de desperdício.  

No caso da CoronaVac, em que as doses são unitárias, o desperdício pode ser decorrente de diversos fatores. Entre eles: quantidades incorretas do imunizante nas seringas, doses que foram preparadas, mas não foram aplicadas, ou problemas relacionados ao tempo de refrigeração.  

BandNews FM entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo, que negou qualquer tipo de irregularidade e disse que todas as UBSs da capital seguem o Programa Municipal de Imunização.  

Ainda de acordo com a administração municipal, as doses que restam de vacinas devem ser utilizadas para “imunizar funcionários que ainda não receberam a dose”. 

Diante da falta de profissionais de saúde, a Prefeitura diz que a orientação é vacinar qualquer idoso que faça parte da faixa etária recomendada ou que more perto das UBSs. 

Fonte: BandNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui