As mulheres de Suzano têm uma cartilha para orientar e ajudar nos casos de violência. O material recebeu o nome de Violentômetro e mostra o que é chamado de escalada de violência. Sandra Nogueira é a coordenadora do programa de promotoras legais populares, que conscientiza sobre a violência doméstica.

O curso forma mulheres para reconhecerem seus direitos. Para Sandra, muitas não sabem que são vítimas de violência. “As aulas ajudam que elas se ajudem e ajudem outras mulheres”,, afirma Sandra.

A coordenadora detalha que ao olhar o Violentômetro, a mulher aprende a reconhecer os diferentes graus de violência que podem terminar com o feminicídio. “A violência tem sempre um início. Ela começa de maneira gradual. A escala mostra isso: uma piada, mentir, chantagear, humilhar, etc.”

Sandra explica que, reconhecendo isso, a mulher precisa buscar ajuda na Delegacia de Defesa da Mulher, Patrulha Maria da Penha, (Centro de Referência em Assistência Social) Cras ou (Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).